quarta-feira, 29 de setembro de 2010

“EU SOU UM LIXO!”


Resolvi escrever isso hoje porque esta semana também coloquei esta frase como meu sub nick no MSN “Me sentindo um Lixo”, e sem brincadeira ouvi isso de pelo menos quatro amigas tudo nesta semana.
Então vou fazer minha analise do porque nos sentimos um lixo.
Quem adivinha qual o principal motivo?
.
.
.
.
.
Homem !!! é lógico!!!
Também existem outros motivos como carreira, família, corpo, etc...
Mas com certeza o primeiro lugar é por causa de homem, aquelas pestes que não te ligam no dia seguinte, ou que te falam OI no MSN por puro peso na consciência e não tem a coragem de desenvolver o assunto. Quem nunca passou por isso que atire a primeira pedra. (lógico as mulheres).
Sabe o que eu queria entender: por que eles não ligam e dizem “poxa super legal e tal... mas não rola. Beijos!!!” em vez disso ficam sendo evasivos no msn ou te ignoram totalmente (nenhum telefone, não te vêem on line, estas coisas).
Eu também sou uma surtada como 99% das mulheres, que olha no Orkut do cara, fica praticamente 24 horas on line, nem coloca ocupado no MSN para que ele não tenha motivo para não dar um oi.
Serio, acho que nem Freud responde esta questão. QUAL O NOSSO PROBLEMA??? porque simplesmente não podemos entender que somos muito melhores que eles, e que este tipo de cretino que nem tem coragem de ligar para terminar o quase relacionamento de vocês é um covarde (alguém aí quer casar e ter filho com um covarde? Lembre-se ele não vai assumir seu filho e você também vai criar a criança sozinha).
Comecei a fazer pequenos mantras para minhas amigas que procuro seguir também, como:
“tudo bem se ele não ligar, ainda tenho meu dedo”
“Ou amor verdadeiro é suicídio” (este é de uma letra do Bon Jovi)
“Quem perdeu a melhor pessoa que passou pela vida foi ele”
“A fila anda”
“Liga para o PA”
O que temos que entender é simples e fácil, não foi desta vez vamos para o próximo, ou como diria meu chefe “tem que pensar com a razão, esquece a emoção”.
E você não é um lixo, você é a melhor pessoa que existe.

By
Lucy Buziquia

Nenhum comentário:

Postar um comentário